Metanóia é melhor que Paranóia

Publicado: agosto 17, 2009 em Uncategorized

Conversão. Generalizando, conversão é a transformação de uma coisa em outra. Mudança de substância, de moeda, de direção na estrada. Tem também a conversão religiosa. Deixar de crer e vivenciar um deus/divindade e uma religião para assumir outra fé e outra espiritualidade. Nós, protestantes-evangélicos, reduzimos a expressão a uma atitude normalmente simplificada em “aceitar a Jesus como nosso Senhor e Salvador “. Isso teria vindo desde Pedro ( “Crê no Senhor Jesus e serás salvo … ” ), passando pela aplicação vigorosa e o apelo convincente de Calvino, no púlpito de Genebra, pelo movimento avivalista, por Wesley, Finney, Spurgeon e Billy Graham. Eu me converti a Jesus e provavelmente você que me lê também. É possível que a gente se lembre do dia, local, do sermão que ouvimos e que aqueceu nossa alma pelo seguimento e imitação de Cristo.

Mas tenho aprendido a buscar uma outra conversão, uma re-conversão à mente de Cristo,  ao que é ” Bom, honesto, verdadeiro  ” ( Filipenses 4 ). Ela precisa ser quase diária: meus pensamentos quase sempre perdem o rumo. Ou tornam-se um ciclo vicioso, uma paranóia. Se não for uma paranóia no rigor da palavra (do grego antigo παράνοια, “loucura”, composto de παρα-, “fora” e do tema afim a νοῦς “mente”), psicose que se caracteriza pelo desenvolvimento de um delírio crônico (de grandeza, de perseguição), é no sentido figurado – um pensamento que se fixa, que se repete, que se projeta desordenado e adoecido.

É melhor metanóia do que paranóia. Metanóia também é uma palavra de origem grega (μετάνοια , metanoia – outro pensamento ) mas significa outra coisa : quer dizer arrependimento, conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitude , postural e temperamento.

Admito que a paranóia – literal ou figurada – me persegue.  Tenho pensamentos recorrentes – de medo, morte, doença, desamor, imoralidade, abandono. Sim, não apenas o esquizofrênico sofre a paranóia. O contexto psico-social que vivemos, individualista, espiritualmente insalubre, sem ar, sem tempo, sem lazer, sem ócio criativo e santo,  a favorece e inspira em todos nós. 

O pecado é o pai da paranóia – o meu , o seu, o nosso. 

Mas eu prefiro a metanóia. Enfrento a tendência ou a presença da paranóia com metanóia.

” No arrependimento ( metanóia ) está a salvação de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor, mas vocês não quiseram ˜. ( Isaías 30.15 )

Oração:  Deus da minha vida, da minha sanidade, da minha paz, muda minha mente! Que ela reconheça o que não é real, o que não é honesto, justo e puro e desmascare a paranóia do pecado com a Metanóia da santidade, fruto da Graça que há na solitude e do silêncio na tua Presença Sanadora. Quero outro pensamento, outra prática, quero esse Deus , quero essa paz. Eu quero. Eu quero Eu quero! Amém.

## Leia um texto sobre o crescimento do comportamento paranoico aqui

capanordpq

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s